O que é marketing de performance? Como aplicar? 7 dicas!

0800 60 Clique para ver

Marketing de performance: o que é? 7 dicas para colocar em prática

Por Marcelo Marques

Marketing

Publicado - 20/05/2022

Baixe nosso material mais recente!

Baixe nosso material mais recente!
Baixar Material
Marketing de performance: o que é? 7 dicas para colocar em prática

Sumário

    Com o objetivo de alcançar novos públicos e ter bons resultados nas vendas, as empresas buscam novas estratégias digitais para chegar às suas metas. Nesse cenário, entender o que é marketing de performance pode ser vantajoso.

    Todo o planejamento estratégico por trás dessa metodologia é feito em cima de um aspecto: a busca por resultados. Com isso, as organizações conseguem respeitar os seus orçamentos, ao mesmo tempo que alcançam as conclusões esperadas.

    Mas mais do que buscar por exemplos de marketing de performance ou pensar nos seus benefícios, é necessário considerar como aplicar isso dentro da realidade do seu negócio.

    Afinal, se tem algo que o marketing digital já nos ensinou é que não existe fórmula pronta para o sucesso. As estratégias não funcionam como mágicas, muito pelo contrário. 

    É preciso ter um bom planejamento, conhecer o comportamento do seu público e, por fim, colocar a mão na massa, testar as variáveis e mensurar os dados. Parece complexo? Com um pouco mais de compreensão sobre o que é marketing de performance, isso pode ficar mais fácil. Boa leitura!

    O que é marketing de performance?

    Atualmente, a maioria das empresas usam o marketing digital para impulsionar as suas vendas. Mas isso não significa que elas estejam apostando no marketing de performance.

    Também conhecido como marketing de desempenho, o objetivo é criar estratégias digitais em que as ações são pagas considerando a atuação das campanhas. O que isso significa?

    Pense nas propagandas de televisão, uma das maiores formas de publicidade do marketing tradicional. Apesar de alcançar um alto número de pessoas, não é possível saber se o público-alvo da empresa realmente foi impactado. E nem precisamos falar sobre como os investimentos são altos.

    Da mesma maneira, mas já no âmbito digital, um estudo da PageFair mostrou que 615 milhões de dispositivos contam com bloqueadores de anúncios. E nenhum negócio quer pagar por anúncios para que eles nem sejam vistos, certo?

    São questões como essas duas que o marketing de desempenho tenta resolver. Afinal, assim, é possível aproveitar ao máximo os recursos investidos, uma vez que você paga apenas pelo resultado.

    Já deu para entender alguns dos principais benefícios do marketing de performance, não é? Agora, vamos para a próxima parte.

    Como implementar o marketing de performance?

    Você já conhece o que é marketing de performance. Então, é o momento de colocar em prática em sua empresa. Mas como fazer isso? Confira essas sete dicas!

    1. Defina objetivos claros

    A primeira etapa de qualquer planejamento estratégico de marketing sempre deve ser pensar em metas e objetivos claros e bem definidos. Afinal, o primeiro passo para criar uma campanha de sucesso é saber onde se quer chegar.

    Talvez você já tenha ouvido falar sobre as metas SMART. Essa é uma metodologia que indica algumas propriedades que toda meta deve ter:

    • Specific (específica);
    • Measurable (mensurável);
    • Attainable (atingível);
    • Relevant (relevante);
    • Time based (temporal).

    Indicação de leitura: Conheça 5 passos para aplicar um planejamento estratégico de marketing no seu negócio

    2. Entenda seu funil de conversão

    Como as ações são focadas em resultados a partir da análise de dados, é necessário entender bem não apenas suas metas, mas como funciona o seu funil de vendas. 

    Dessa maneira, é mais fácil de criar as técnicas apropriadas para a conversão, ou seja, focadas no fundo do funil. Mas, para isso, é necessário entender a jornada que o usuário faz para chegar até o seu site.

    Tão importante quanto a etapa anterior, esse é o momento de analisar o perfil e o comportamento do seu potencial cliente. Assim, consegue montar um provável fluxo que ele terá de seguir para chegar até a compra final.

    3. Decida pelos melhores canais e mídias

    A partir do momento que o passo anterior foi concluído, é possível pensar nos principais exemplos de marketing de performance, ou seja, onde as campanhas podem ser divulgadas.

    Como em qualquer outro planejamento, vale pensar nas mídias e canais que são mais utilizados pelo seu público, pois assim as campanhas serão mais assertivas. Veja os principais exemplos.

    Google Ads

    Uma das principais opções quando falamos sobre o que é marketing de performance. Essa ferramenta associa o volume de pessoas, flexibilidade de orçamento e uma boa abrangência de segmentos. 

    Assim, a organização consegue divulgar suas campanhas em ambientes digitais que sejam parceiros do Google, considerando as segmentações. 

    Além disso, a plataforma contém todas as informações mais relevantes para mensurar os resultados, como as quantidades de visualizações, de visitas, cliques na página, entre outros.

    Mídias sociais

    Quais as chances do seu potencial cliente estar nas redes sociais, como o Facebook, Instagram, LinkedIn ou Twitter? Isso até pode variar de acordo com os produtos vendidos, mas a verdade é que esse é um dos principais canais para implementar o marketing de desempenho. 

    Assim, é possível conquistar visibilidade, tráfego e clientes por meio dos anúncios nas principais redes. 

    Vale lembrar que o uso associado da mídia paga com a orgânica costuma ser o mais indicado para qualquer estratégia de marketing, já que une as vantagens das duas frentes.

    4. Estabeleça um orçamento

    Como vimos, uma das principais vantagens de saber o que é marketing de performance é que a estratégia pode ajudar a otimizar os custos das campanhas, diminuindo os gastos e, ainda assim, trazendo bons resultados.

    Mas, ainda assim, é necessário fazer investimentos, certo? O ideal é montar um budget, ou orçamento, que seja bem definido para que os valores não sejam extrapolados em diferentes canais, por exemplo.

    Existem alguns caminhos para calcular o orçamento considerando as metas, o tamanho do público e seu perfil, o tipo do produto, o reconhecimento da marca, a força dos concorrentes e outros detalhes.

    Algo que você não pode deixar de estabelecer é o valor máximo que poderá ser gasto por clique e lead, por exemplo. Isso ajuda a manter o budget dentro do esperado.

    5. Segmente campanhas

    A segmentação é outra parte essencial das campanhas de marketing de performance. Isso porque você não quer que os anúncios cheguem para todo mundo. Provavelmente, isso não terá diferença nos resultados.

    Não adianta “atirar para todos os lados”. É necessário ter foco para que a estratégia alcance as pessoas certas, ou seja, potenciais clientes que tenham o perfil da sua empresa. E para isso é necessário segmentar.

    As ferramentas do Google Ads e Facebook Ads já mostram os principais filtros de segmentação e você pode escolher entre a variedade de formatos e locais em que o anúncio será exibido.

    Outra estratégia importante para a segmentação é a de retargeting e remarketing. Sabe quando você procura por um tênis específico em uma loja, e depois disso várias opções desse mesmo item começam a aparecer em anúncios de diferentes páginas? É essa ferramenta que está sendo utilizada.

    A ideia é que, se um usuário já procurou pelo produto por conta própria, é porque existe um desejo real em comprá-lo. Mesmo a mais simples dessas estratégias pode trazer bons resultados, com chances de que ele volte e converta em seu site.

    6. Identifique as métricas a serem acompanhadas

    O único jeito de entender se o planejamento foi bem-sucedido é analisando as métricas e resultados alcançados. Para isso, é importante definir os principais indicadores. Quando falamos sobre performance, os KPIs que devem ser acompanhados são:

    • Impressões: refere-se à quantidade de vezes que o anúncio foi mostrado ao público. Não são o número de pessoas que viram, mas sim o número total de exibições;
    • Custo por clique: o CPC é uma das métricas mais comuns nas mídias digitais. Se baseia no número de vezes que um anúncio é clicado dentro do público-alvo da campanha, mesmo que ele não conclua a compra ou passe para a ação seguinte. A verdade é para que essa taxa esteja boa, o anúncio deve ter sido bem produzido (tanto em questão de copy, de design e de segmentação);
    • Custo por lead: já o CPL é cobrado quando o usuário entra no site por meio do anúncio e preenche um formulário de inscrição, um cadastro ou quaisquer etapas necessárias para fazer parte do banco de dados da empresa anunciante;
    • Engajamento: quando falamos sobre as redes sociais, o engajamento é um indicador importante. Ele mostra o alcance das suas publicações, principalmente as orgânicas, ou seja, como elas estão sendo entregues ao público. 
    • Retorno sobre investimento: tão importante quanto vender é se certificar de que o investimento feito nas estratégias de marketing realmente deu um retorno satisfatório. Isso é o que chamamos de ROI, ou seja, se o dinheiro empregado trouxe lucro para a empresa ou não.

    7. Invista na experiência do usuário

    Por último, mas que não deixa de ser essencial, ressaltamos a importância de se pensar a experiência do usuário. Por mais que esses anúncios e estratégias de marketing pareçam que o consumidor está cada vez mais distante da marca, não é assim que deve ser enxergado.

    Pelo contrário, a personalização, a segmentação e a preocupação em conhecer o comportamento do cliente mostra como o relacionamento é fundamental. E, para chegar a este ponto, é necessário oferecer experiências positivas.

    Elas podem vir de diferentes maneiras, desde ter um bom site, boas opções de formas de pagamento e pelo atendimento prestado.

    Mesmo nas redes sociais, ter consciência que o atendimento ao cliente é uma parte essencial de qualquer estratégia de marketing. Afinal, se essa experiência for prejudicada, não adiantará investir milhares na performance.

    Ter uma equipe especializada para realizar o atendimento pode fazer a diferença na experiência do usuário e na percepção que o público tem da marca, seja pelo telefone, WhatsApp ou redes sociais.

    E a Prestus está aqui para te auxiliar neste momento. Conheça os nossos planos e demais facilidades que os nossos pacotes oferecem a sua empresa.

    Deixe o seu comentário!