O que é Lean Thinking? Saiba como aplicar os 5 princípios!

0800 60 Clique para ver

O que é Lean Thinking e como ele pode ajudar nos negócios?

Por Alexandre Borin

Empreendedorismo

Publicado - 21/02/2022

Baixe nosso material mais recente!

Baixe nosso material mais recente!
Baixar Material
O que é Lean Thinking e como ele pode ajudar nos negócios?

Sumário

    O que é lean thinking? A nova filosofia de gestão foca em dois objetivos: maior produtividade e produtos de qualidade, evitando gastos e desperdícios com o produto. Veja agora os princípios do lean thinking e como implementá-lo.

    O principal foco no dia a dia de quem trabalha na produção de um produto é agilizar as demandas e evitar desperdícios. Se não houver planejamento por parte dos gestores e a equipe não for treinada, isso pode implicar prejuízos inestimáveis para empresa.

    Pensando a frente do seu tempo, a Toyota criou um sistema de produção e popularizou ele antes mesmo dos anos 2000, dando origem às estratégias do lean thinking que foca em agregar valor ao produto, reduzindo desperdícios e otimizando os processos de produção.

    Mas o que é lean thinking? Entenda como esse framework do mercado pode mudar a concepção de valor do cliente, otimizar sua produção e, principalmente, garantir a satisfação do cliente.

    O que é lean thinking? 

    O lean thinking originou-se no Japão, por Taiichi Ohno, engenheiro responsável pela produção da Toyota após a Segunda Guerra Mundial.

    Taiichi liderou o desenvolvimento dessa cadeia de sistemas, que foi aprimorada com o tempo e hoje garante melhor qualidade do seu produto, agregado a menor tempo de produção e custos baixos durante o processo.

    Focado em evitar desperdícios e garantir a satisfação do cliente, as ferramentas lean thinking respeitam rigorosamente os processos, garantindo no final da produção um produto bom, com valor competitivo e que pode ser produzido em larga escala. 

    Os dois principais pilares que deram seguimento a esse sistema são popularmente conhecidos como Just-in-Time, um sistema que administra a produção determinando o tempo exato de tudo que deve ser produzido, transportado ou comprado.

    E também o Jidoka, conceito que em tradução livre significa “automação com um toque humano”. Seu principal foco é aumentar a eficiência dos processos, permitindo a intervenção na produção caso ocorra uma falha.

    Ou seja, unir a tecnologia com um humano e utilizar isso ao seu favor, transformando o método, focando na experiência do cliente e, consequentemente, gerando ainda mais valor ao seu público.

    Seja qual for seu negócio, é possível através do lean thinking gerar mais lucros, atingir mais clientes e sobretudo evitar desperdícios.

    Quais os 5 princípios do lean thinking?

    Agora que você compreendeu melhor o que é lean thinking e sua importância para alcançar o consumidor final, vamos apresentar seus princípios e como eles podem gerar ainda mais valor ao seu produto.

    Mas para garantir sua efetividade, seja você um líder de equipe ou especialista do mercado, precisa seguir rigorosamente cada passo e sempre levantar os seguintes questionamentos: 

    • Como melhorar o processo de trabalho?
    • Qual é o problema que precisa ser resolvido?
    • Como desenvolver as pessoas responsáveis?

    Ou seja, identificar melhorias, questionar o problema principal e capacitar os que lidam com eles diariamente para que o objetivo final seja alcançado. Sabendo disso, confira os cinco princípios do lean thinking.

    1. Valor

    O primeiro princípio e primeiro passo é definir o que é valor na perspectiva do seu cliente. Essa é a premissa básica para começar a gerir qualquer mudança, afinal, você precisa entender o que seu público deseja, já que é ele quem define o preço a ser pago em sua marca. 

    Lembre-se de que o valor não está associado apenas ao custo do produto, mas sim o que o cliente considera valioso.

    2. Fluxo de valor

    Agora que você já definiu o valor do produto para o cliente, é necessário identificar as etapas que agregam valor ao produto. Como fazer isso?

    Primeiramente, devemos conhecer todos os processos que ocorrem na produção de um produto, da sua matéria-prima até o envio ao cliente. A partir disso, você consegue definir quais são essenciais e quais podem ser consideradas como “desperdícios”, que acabam não agregando valor ao cliente.

    Esses processos desnecessários podem estar relacionados ao maquinário ou até mesmo às burocracias da empresa, como impressão de vários papéis. A questão é que se eles podem ser eliminados, então estão gerando gastos sem motivo.

    3. Fluxo contínuo

    Agora que você já fez a pesquisa de valor da sua marca e estabeleceu os custos que implicam cada processo, é o momento de formar um fluxo contínuo para realizar as atividades de criação, execução e finalização.

    O princípio é buscar novas formas de atender às necessidades do seu cliente de forma ágil, reduzindo etapas, esforços, tempo e eliminando custos desnecessários.

    Leia também: Gestão de tempo: o que é? Quais as suas vantagens? Como colocar em prática?

    4. Produção puxada

    Neste princípio de lean thinking, estamos falando sobre a produção sob encomenda. O que isso significa? Você deve focar em armazenar o mínimo de produção em estoque, contar apenas com o que vai sair e, assim, evitar produzir excessos.

    Aqui deve-se pensar em agilidade e finalizar o ciclo de produção sem precisar de ações para queima de estoque excedente, abaixar o valor do seu serviço e até mesmo evitar os vencimentos na sua prateleira. 

    5. Perfeição

    Por fim, é fundamental que ao final de cada processo, seja questionado se o objetivo foi alcançado com perfeição e exatidão, sejam eles usados para serviços, produtos ou pessoas, sempre visando a agregação de valor ao cliente.  

    Como gerar valor ao cliente?

    Você viu como antes mesmo dos anos 2000 o mercado já entendia a importância de reduzir custos e se valorizar entre a concorrência? Isso tudo foi possível graças à criação do método e, posteriormente, o desenvolvimento do que é lean thinking e como ele é importante para mudar a visão de valor do cliente.

    Mas lembre-se, não quer dizer que ao fazer uso de ferramentas Lean você excluirá a mão de obra humana, muito pelo contrário, é preciso unir esses dois fatores para tornar o processo inquebrável e duradouro.

    No fim, basta reforçar cada fase dos processos e garantir a perfeição de cada uma, repetindo esse processo sempre que necessário.

    E por mais que o lean thinking tenha sido desenvolvido inicialmente para o mercado de produto, é possível utilizá-lo para gerir pessoas e empresas de serviços.

    Se você é um empresário, deve lembrar que essas dicas podem ser facilmente adaptadas para sua empresa: entender o que é valor para seu cliente, definir os processos, eliminar os desperdícios e produzir (com perfeição) aquilo que seu consumidor espera de você.

    Uma das principais maneiras de gerar valor ao cliente é por meio de um atendimento personalizado. E quando falamos sobre isso, não podemos deixar de lado a importância da terceirização do atendimento telefônico.

    A Prestus é a primeira e maior empresa de secretárias compartilhadas no Brasil, atendendo em nome de mais de 500 empresas com total sigilo e prestatividade. 

    As secretárias virtuais oferecem atendimento telefônico 24 horas, aplicam o questionário de atendimento receptivo e encaminham os recados por e-mail e/ou SMS. 

    Essa é uma alternativa real para oferecer um atendimento personalizado e diferenciado aos seus clientes. Conheça nossos planos e acompanhe o nosso blog para mais conteúdos de organização, empreendedorismo e atendimento ao cliente!

    Deixe o seu comentário!